terça-feira, 24 de janeiro de 2012

Tempo e Vida

Todo dia, um mundo
Nas horas que a vida se vê
Sem vida, sem tudo
Quase nada para lê

Riquezas de um dia
Memórias desfalecidas
Maldade já é a tradução
Lembrava e ria
Lembrar é resgatar momentos e vidas esquecidas
Pela dor da obstinação

Foram-se aqueles dias
Como todos os outros
Na capela, no cenáculo
Canções e doces melodias
Pão na mesa e Vinho nos copos
E Amor sem desequilíbrio e obstáculo

Foi-se Aquele que disse que voltaria
E não sei o dia
Mas ainda é tempo
De arrependimento

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado por comentar. Participe de outras categorias. Um Abraço!