Postagens

Mostrando postagens de Maio, 2010

...Um reticente...

Por: Elionai Dutra

"Não sei ao certo
Ao certo não sei
O que se devia saber
E o que se devia dizer...

Não pude falar
Tampouco fazer
As coisas que advêm sobre meu ser...

Por isso escrevo
E nisso releio
Os textos escritos
E outros redigidos
Pela alma e pelo coração sentidos...

Não me leve a mal, não
Pois o que se devia falar é escrito pela mão
E o que se devia saber está entendido no coração
Mas aquilo que se devia fazer está reticente no porão
E isso combina com aquele que aprende a dizer não..."

Ética do Amor

Por: Elionai Dutra

"Ao entardecer no bosque da vida, eu vi...
Ao contemplar os raios de sol cortando a terra e o céu, senti...
Ao deitar-me na relva, sonhei...
Ao permitir-me no descanso, respeitei...

A estes versos aqui escritos e sonhados, um pouco de ética...
As memórias do bosque da vida, um pouco de amor...
A este poeta aprendiz, um tanto de ética e amor...
Aos que lêem este poema, Ética do Amor..."

Um Poema, minha vida...

Por: Elionai Dutra

"Quem vê um poeta não sabe quem ele é
Mira o alvo na contrapartida da vida
Sente sua mão, mas o sentido se perde por inteiro
E então não passa a conhecê-lo.

Não conhece aquele que disse um dia
E no outro argumentou:
Que a vida só é vivida quando se permite viver
E assim vive o poeta nos pensamentos alheios.

Vive no mundo dos cárceres
Protege-se no mundo das coisas ocultas
Sabe que o ser é mais que uma mera divisão
Por isso sente, ama e vive; sobretudo compõe sua vida num poema."

Um passo para a Eternidade...

Por: Elionai Dutra

" Fala a Palavra, fala...
Não deixes escapar teus últimos instintos.


Fala a Palavra, hoje...
Amanhã regarás a verdade que nasce na eternidade e se sustenta no compromisso de dizer sempre a verdade.


Fala a Palavra, aqui...
Sinta a forma do presente da vida em passos vagarosos; e, então, diga a Palavra e viva...


Fala, diga, viva esta Palavra...
Sentirás quão terno e sublime é viver, aprenderás com Ela sempre, pois a eternidade é um compromisso de ser...


Fala abertamente e abrace-a em teu peito...
Fala Amor, Viva o Amor, não deixes teus instintos dominarem teu ego...


Fala a Palavra: Amor..."

O Passado (Parte 1)...

Por: Elionai Dutra

"Quando abri o Livro de minha vida, encontrei escavações inacabadas e de um jeito profundo conheci o medo. O medo, não de lutar na busca, mas de enfrentar o encontro final. Ao entrar em uma sala de investigação, os temores me sobrevieram de modo a lançar todos os pesadelos contidos em mim.
Um dos "alguém" que estava me interrogando levantou de súbito empunhando uma arma em minha direção; fiquei apavorado, comecei a ter calafrios, nunca havia pensado neste momento, a dor começou antes de ser atirado o primeiro projétil. 
Este alguém não me mostrou quem era, apenas fez perguntas difíceis, inconstantes e sofridas. Não me calei perante este alguém, as minhas aspirações de valores havia se extinguido, mas não me calei; disse todas as palavras guardadas no tempo, repassadas na vida e vividas no sofrimento. Aquele que me perguntava também declamava seus pormenores de intolerância.
Os outros se aquietavam, pois detinham respeito e cumplicidade, na forma de pensar…