sábado, 14 de janeiro de 2012

Sopro

Mar...de alma sagrada
De corpo salgado
De cor verde azulada
De maré num instante
Na estante a contemplar
Águas que escondem
O Profundo...

Eu...de alma maculada
De corpo profano
Da cor do medo
De crise na estante dos réus
Na memória eterna de Deus
Sopro que traz
O Perdão...

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado por comentar. Participe de outras categorias. Um Abraço!