Divino Silêncio...

Texto por: Elionai Dutra

"Recolha...
Recolha teus molhos e venha visitar sua Casa...
Aprenderás que, deveras, a vida não é este sustento que ganhastes, cujo o labutar te é por valor...

Descubra...
A mão que te quer afagar os males é a que compôs a Ópera da Vida, com harmonias que tu não conheces e intervalos silenciosos que pulsam em mim como brisas da manhã...

Pense filho...
Não deixes, a mim, uma crença, apenas faça o que é o bem, pois hoje estou aqui para ouvir-te, ouvir teus pensamentos, olhar para ti e ver um prodígio da criação que fiz...

Encontre-me...
Nos jardins, nos vales, nas montanhas...sabe e aprende, filho, estou perto de te ver como tu vês as pessoas ao teu redor, não canses de viver o amor, lute pelo bem aos demais filhos meus...

Ainda clamam...
Por esperança, filho, diga para eles que volto, que o meu ciúme está começando e preciso que vivam para mim, assim como Abel viveu...

Desarme-se...
Filho querido, quem te emprestou todas as armas que estão em teu ser? Estou preocupado contigo: Quem és agora? Tornou-te a não conversar com teu Irmão Jesus? Por que, filho?  Olhe para ti mesmo...Desarme-se, querido, abraça-me, peço-te, abraça-me filho...

Tu me amas?
Lembra-te desta frase, filho? Sim, sou Eu...Aquele mesmo homem que te salvou, mesmo sabendo da inocência perdida que te dei...O que fazes agora, filho? Andas confuso?  Permanece querendo mostrar para outros o que eu não te ensinei? Sim, filho, tu aprendestes sozinho...não queria aprender comigo...E agora? Aprendeu a amar?

Espere, mas viva teus dias...
Tu precisas de um bom banho aqui em Casa. De roupas novas, inesgotáveis. Precisas de um pedaço de Pão. Descobriu apenas o que tinha, mas teus valores estão comigo, filho...espera, espera, mas não durmas em outros pensamentos, querido.

Não ouves o que digo?
Sim, filho, estou falando contigo, escute-me em todos os momentos...

Não estou distante...
Descobrirás que eu estive sempre no jardim, mas teus sons pesados e teus pensamentos confusos, teus rebuços e disfarces, não te deixaram entrar...

Mas Recolha os teus molhos...
Estou aguardando, filho, desarme-se, descubra, encontre-me, no Jardim...o Dia? Marcaremos quando te visitar...

Aguarde,"

Deus, teu Pai...

Comentários

  1. Obrigado por comentar Lucas. Participe de outras categorias. Um Abraço Amigo!

    ResponderExcluir
  2. Parabéns pelo texto!!!
    Serenidade e mansidão precisamos exercitar...

    ResponderExcluir
  3. nossa muito sábio esse seu texto....

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Obrigado por comentar. Participe de outras categorias. Um Abraço!

Postagens mais visitadas deste blog

#1 Páginas Ouvidas - Lavadeiras de Mossoró - Carlos Drummond de Andrade

Uma nota louca... Só isso!

Lacres!